Categoria em Actividades 2022

Ler com liberdade!

Ler com liberdade!

A Leitura e a Liberdade são os desígnios das publicações da Elivulu, fundada em Angola, em Junho de 2019, pelo jornalista e ativista pelos direitos humanos, Sedrick de Carvalho. É uma editora independente e generalista, ciente da responsabilidade social e cultural do trabalho editorial. Segundo o seu responsável é um empreendimento em permanente evolução que prima pelo rigor e qualidade das suas obras.

Os seus livros estão disponíveis em Angola e Portugal. Podem facilmente ser encomendados para qualquer parte do mundo.

Os livros publicados pela editora vão estar disponíveis na Feira do Livro do Porto de 26 de Agosto a 11 de Setembro de 2022, no stand 76 da AUTORES.club. A Feira do Livro do Porto vai funcionar em 2022 no seguinte horário: abertura de segunda a sexta-feira, às 12h00; abertura aos sábados e domingos, às 11h00; encerramento de domingo a quinta-feira, às 21h00; encerramento às sextas-feiras e sábados, às 23h00 e está localizada nos jardins do Palácio de Cristal, junto ao pavilhão Rosa Mota, na cidade do Porto.

E agora quem avança somos nós

E agora quem avança somos nós

Três editoras independentes, Panguila – Niterói (Brasil), Elivulu Editora (Angola) e Perfil Criativo – Edições (Portugal), todas iniciativa de angolanos instalados em três metrópoles de três continentes, Niterói no Rio de Janeiro, Luanda e Lisboa, avançam com uma parceria editorial criando a “Coleção Tricontinental“.

O objectivo é partilhar nos três países, Angola, Brasil e Portugal, uma colecção de livros de ficção e não ficção, de autores de língua portuguesa dos três continentes.

O primeiro volume estará disponível em Lisboa, a 5 de Agosto, no Rio de Janeiro, a 10 de Agosto (encomendas no Brasil: (+55 21) 991.889.312) e em Luanda depois da eleições.

Com o título “E agora quem avança somos nós” (Ed. 2022), é um romance de Jonuel Gonçalves que esgrima a ideia de que raça é máscara.

Na Feira do Livro do Porto os livros do nosso autor Jonuel Gonçalves, “E agora quem avança somos nós” (Ed. 2022), e “Economia e Poder no Atlântico Sul. África do Sul | Angola | Argentina | Brasil“ (Ed. 2022) vão ser “Livro do Dia”, a 3 de Setembro de 2022 (Sábado).

Disponível para encomenda em www.AUTORES.club

Igreja católica aclama tratado da História

Igreja católica aclama tratado da História

20/07/2022 Luanda — Os arcebispos e bispos diocesanos da Conferência Episcopal de Angola e São Tomé e Príncipe receberam o professor catedrático e investigador de História de Angola, Carlos Mariano Manuel, e aplaudiram a sua monumental obra com o título “Angola: desde antes da sua criação pelos portugueses até ao êxodo destes por nossa criação”, volume I, II e III.

Durante o encontro com os ilustres membros da CEAST foram trocados conhecimentos e pontos de vista entre os participantes, tendo sido um momento inédito de celebração do secular engajamento da igreja, no âmbito da promoção da ilustração e valorização cultural das comunidades em Angola. Os membros da igreja mostraram-se regozijados pela originalidade da obra de História de Angola ter sido elaborada por um autor nativo originário e sob uma perspectiva epistemológica endógena e dissociada de pressupostos eurocêntricos ou localismos e conveniências circunstanciais.


26/07/2022 Luanda — O monsenhor Dom Giovanni Gaspari, núncio apostólico em Angola (representante diplomático permanente da Santa Sé), recebeu duas colecções do tratado de Historia, “Angola: desde antes da sua criação pelos portugueses até ao êxodo destes por nossa criação”, entregues pelo autor, Prof. Doutor Carlos Mariano Manuel, e destinadas ao Santo Padre e à famosa biblioteca do Vaticano, em homenagem ao papel desempenhado pela igreja Católica na evangelização e ilustração dos povos de Angola, bem como da participação da congregação dos sacerdotes da Companhia de Jesus na fundação de Angola.

Surpreendido pela qualidade da obra, Dom Giovanni Gaspari manifestou-se, em nome próprio e em nome de Sua Santidade o Papa Francisco, bastante regozijado tendo enfatizado o valor da obra recentemente publicada, enaltecendo a relevância da obra também para os países das regiões central e austral de África e para as relações entre a Europa, o Vaticano e África.

Livro de Mafrano chega a Ndalatando

Livro de Mafrano chega  a Ndalatando

O livro “Os Bantu na visão de Mafrano” será apresentado no próximo dia 23 de Julho, 11h00, na Casa da Juventude de Ndalatando, capital da província do Cuanza-Norte.

Autor: JORNAL DE ANGOLA (21/07/2022)

A iniciativa está a ser apoiada pela Direcção Provincial da Cultura que pretende receber a obra de Mafrano como a de um “filho insigne do Cuanza-Norte” a quem o arcebispo emérito do Lubango, Dom Zacarias Kamuenho, chamou de “O antropólogo maior!”.

Maurício Francisco Caetano, o autor desta obra, nasceu na cidade do Dondo aos 24 de Dezembro de 1916 e fez os seus estudos no Seminário do Sagrado Coração de Jesus em Luanda.

Já adulto, o autor regressou à sua província natal, trabalhando como funcionário dos Serviços de Fazenda e Contabilidade nas cidades de Ndalatando e Golungo Alto, entre os anos 50 e 70, além de outros pontos de Angola como o Cuanza-Sul, Cabinda, Uíge e na região dos Dembos.

Com a independência de Angola, em 1975, incorporou-se no Ministério das Finanças, em Luanda até à sua morte  em Julho de 1982.

O livro “Os Bantu na visão de Mafrano” foi editado pela família do autor a partir de textos dispersos no Jornal católico “O Apostolado”, entre os anos 1957 e 1982, e faz parte de uma colectânea a ser publicada em três volumes. A obra foi lançada em Luanda no passado dia 14 de Maio.

Prosélito Dala, director adjunto da Casa da Juventude de Ndalatando, na imagem acima, é um dos organizadores da homenagem a Maurício Caetano, que coincide com os 40 anos do seu passamento físico (1916-1982)
Cuanza-Norte

Dia Mundial das Bibliotecas comemorado em Luanda

Dia Mundial das Bibliotecas comemorado em Luanda

O livro sobre antropologia cultural angolana “Os Bantu na visão de Mafrano” (Ed. 2022) voltou a estar em destaque, desta vez nas celebrações do Dia Mundial das Bibliotecas, 1 de Julho, que decorreram na Biblioteca Nacional de Angola, em Luanda.
A obra póstuma do escritor Maurício Francisco Caetano, Mafrano, foi devorada em poucos minutos e recebeu convites para participar em mais exposições e feiras do livro.
Durante a cerimónia alusiva ao Dia Mundial das Bibliotecas, a tónica foi para a promoção do livro e da leitura.
O contributo dos participantes também ficou registado: «é importante promover a literatura através dos meios de comunicação social, das redes sociais e das plataformas de comunicação como o Zoom, Google Meeting e o YouTube. », disse a propósito o jornalista e escritor José Soares Caetano, «Tazuary Nkeita».

Moçambique quer conhecer melhor a História de Angola

Moçambique quer conhecer melhor a História de Angola

Maputo 1/7/2022 – Apresentação do tratado de Historia “Angola: desde antes da sua criação pelos portugueses até ao êxodo destes por nossa criação” (Ed. 2021), pelo autor, o professor catedrático e representante da Universidade Agostinho Neto, de Angola, Carlos Mariano Manuel, na conferência internacional alusiva às comemorações dos 60 anos do ensino superior em Moçambique e Angola (1962-2022). Foi um acolhimento entusiástico e generalizado pelos académicos, intelectuais e responsáveis de importantes instituições moçambicanas. Estiveram presentes os ministros de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior da República de Moçambique e da República de Angola, bem como reitores de dezenas de Universidades de Moçambique e Angola.

Várias instituições manifestaram o interesse em ter acesso a esta monumental obra recentemente publicada em Angola e Portugal, e disponível em www.AUTORES.club.

Assinatura de um amplo Acordo no âmbito do ensino superior pelos ministros da Republica de Angola e da República de Moçambique
Momento cultural no inicio da sessão de encerramento.

Maka internacional na UEA

Maka internacional na UEA

29/6/2022 – Mais uma famosa “Maka à quarta-feira” desta vez num encontro para “Recordar Agostinho Neto e Simón Bolívar, os Libertadores” na sede da União dos Escritores Angolanos, em Luanda.  Na foto momentos em que se procedia à exposição do nosso livro Os Bantu na visão de Mafrano

Foi mais uma vez possível testemunhar que Maurício Francisco Caetano (Mafrano) já era um notável professor aos 29 anos e que os seus alunos, daquele e de outros tempos, falam dele ainda hoje com muito orgulho.

O interesse pelo livro, recentemente lançado em Luanda, também foi notório e as perguntas, foram incontornáveis:

— Onde estão a vender esta obra? – perguntaram uns.

— E o segundo volume, quando sai?

— Eu fui aluno de Português de Mafrano, no Instituto Comercial de Luanda, e comigo muitos outros que hoje andam por aí! – segredou-nos outro, enumerando os nomes!

“Vamos ver… vamos ver!” na Biblioteca dos Coruchéus

“Vamos ver… vamos ver!” na Biblioteca dos Coruchéus

28/6/2022 — A Biblioteca Municipal Palácio dos Coruchéus, em Alvalade (Lisboa), encheu para assistir à leitura encenada a partir de textos criados na oficina de escrita criativa. Uma surpreendente actividade cultural dirigida pela encenadora Lina Paula Pinto e que contou com a participação de um grupo de leitores, numa parceria entre a Perfil Criativo e a Biblioteca dos Coruchéus.

Eduardo Mondlane na Liga Nacional Africana em 1950

Eduardo Mondlane na Liga Nacional Africana em 1950

A noticia foi divulgada no número 54 da revista “Angola – Revista de Doutrina e Estudo”, da Liga Nacional Africana, de Julho-Setembro de 1950, na secção “Cinco Minutos de Conversa”, revela a presença em Luanda de Eduardo Chidambaram Mondlane, proveniente de Joanesburgo, na África do Sul, e com destino a Lisboa onde tencionava prosseguir os seus estudos académicos no Instituto de Ciências Económicas e Financeiras.

O Prof. Doutor Pedro Magalhães, reitor da Universidade Agostinho Neto procedeu à entrega de um quadro, com a página da entrevista de Eduardo Mondlane à revista da Liga Nacional Africana, ao Prof. Doutor Manuel Guilherme Júnior, reitor da Universidade Eduardo Mondlane, de Moçambique, durante a Conferência dos 60 anos de criação do Ensino Superior em Angola e em Moçambique, que está a decorrer em Maputo.

Eduardo Mondlane nasceu em 1924, na província de Gaza (Moçambique), e em 1969 morreu assassinado na sequência do rebentamento de uma bomba.

Iniciou os seus estudos universitários na África do Sul, mas o regime do apartheid forçou-o a abandonar a universidade.

Viajou para Luanda para seguir para Portugal com a intenção de prosseguir os estudos. Recebeu uma bolsa, e terminou os estudos superiores com um doutoramento na Universidade de Harvard (Estados Unidos da América).

Exerceu a função de professor universitário, nas áreas de História e Antropologia, e trabalhou para as Nações Unidas, o que lhe proporcionou o regresso a África. Dedicado à causa da independência de Moçambique, foi o principal fundador da Frente de Libertação de Moçambique (FRELIMO), em 1962, na Tanzânia, tendo sido eleito primeiro presidente do movimento (reeleito em 1968).


1 2 3 4